A Grande Invasão

de Caroline Bergeron Categoria: Teatro | Público: 6 aos 12 anos

Sinopse

Grande Invasão é um documentário ao vivo que confunde alegremente e sem vergonha a ciência e a fantasia, criando uma impostura jubilatória que ridiculariza suavemente a nossa maneira de viver.

Uma mãe, conferencista, testemunha e documenta por intermédio de fotografias, ilustrações e vídeos, o seu encontro e vivência familiar com um grupo de Sereias que provocou uma epidemia junto daqueles que estiveram em contacto com elas na vila de Alcochete.

O testemunho é apresentado através de três visões distintas que vão aparecendo alternadamente num mesmo ecrã. A visão oficial dada através de extratos de notícias televisivas e entrevistas a especialistas, a visão pessoal da mãe, documentada em fotografias familiares e a versão sentida pelas próprias Sereias, em ilustrações.

De relato documentado, o objetivo da conferência transforma-se num pedido de ajuda ao espetador, que é convidado a assinar uma petição que liberte as Sereias da tutela do Instituto de Medicina Legal de Lisboa, onde estão confinadas para investigação.

estreia agendada para março de 2015

Info

"Sempre gostei de ficção científica. Tendo lido e relido alguns clássicos do género, continuo, apesar da  repetição, fascinada por estes mundos inventados que me fizeram olhar o nosso de uma maneira sempre diferente, consoante a idade da releitura. Isto explica de alguma forma que tenha vindo a inventar a minha própria civilização… Reinventar será mais exato, pois apropriei-me do mito das sereias para o transformar à minha maneira, numa espécie de “sociologia poética”, próxima de mim e das minha inquietudes face ao mundo em que vivemos.

As minhas sereias e sereios são seres que, apesar de não saberem o que é um preconceito, não são nada ingénuos. Pelo contrário, as minhas sereias enfrentem o mundo com bravura, com as diversas ferramentas “psico-poético orgânico-mágicas” que inventei para elas. O afeto é o seu mais potente fator de mudança e o ditado preferido delas é: “Quando uma sereia chora, todas as sereias choram”."

Carolne Bergeron

Imagens Promocionais

Ficha Artística

Criação, direção artística e falsificações Caroline Bergeron

Interpretação Catarina Santana

Participação em vídeo e fotografia Catarina Santana, Paula Diogo de Carvalho, Maila Dimas, Vasco Diogo, Miguel Antunes, Francisco Campos, Nicolas Brites, Cláudia Andrade e Gaspar Vasques

Ilustrações Antoine Blanquart

Ambiente Sonoro e Realização Vídeo e Fotografias António-Pedro

Efeitos especiais Guilherme Pina

Produção Companhia Caótica

Residência Espaço do Tempo e Centro Cultural Vila Flôr

Coprodutores Fundação Culturgest, Centro Cultural Vila Flôr, Teatro Municipal da Guarda, Centre Culturel Pablo Picasso (Homécourt, França) e Théâtre de Villeneuve les Maguelonne (França)

Espetáculo coproduzido no âmbito da Rede 5 Sentidos


duração estimada
1h

lotação 200 pax

Stage One produção executiva