Pocilga

de John Romão Categoria: Teatro | Público: Público-geral

Sinopse

O texto teatral Pocilga de Pier Paolo Pasolini tem lugar na Alemanha dos anos 60 e tem como protagonista Julian, filho de um grande industrial de Bona, o Senhor Klotz. Julian sofre de uma anomalia sexual invulgar: só obtém satisfação sexual através de relações com porcos. O amor inusitado pelos porcos impede Julian de participar com a namorada numa manifestação estudantil em Berlim e afasta-o dos negócios do pai. Mas esta sua paixão é descoberta por Herdhitze, um ex-criminoso nazi, que aproveita a situação para chantagear o pai de Julian, seu rival de negócios. Para se defender, Klotz ameaça revelar o passado político de Herdhitze. No fim de tudo, Klotz e Herdhitze decidem, como bons capitalistas, unir esforços e criar uma coligação política, ao invés de se enredarem numa luta desastrosa para a reputação e os negócios de ambos. Enquanto celebram uma futura parceria económica, recebem a notícia de que Julian foi comido pelos porcos. Após se terem certificado de que não restam vestígios do corpo de Julian, os dois homens resolvem firmar um pacto de silêncio sobre o ocorrido e prosseguir com os seus planos económicos.

Por seu lado, o filme desenvolve o tema do canibalismo moderno, justapondo duas narrativas cujo contraponto decorre da analogia das situações: o canibalismo de um bando de foras-da-lei, ritualista, devoradores de carne humana numa paisagem vulcânica; e a burguesia alemã de 1968 que prolonga a grande barbárie nazi e destrói, através do símbolo dos porcos devoradores do filho ímpio que é Julian, todos os que não obedecem ao sistema.

Segundo Pasolini, os dois episódios estão unidos pelo mesmo fio condutor, isto é, obedecer ou morrer. Em comum têm, ainda, um aspecto formal que é saber alternar um episódio mudo e meta-histórico com um episódio falado e histórico.

Info

Tudo o que Pier Paolo Pasolini escreveu e filmou está ligado à dimensão do íntimo, à vida do corpo humano. O espetáculo Pocilga pretende homenagear um dos autores mais profícuos e controversos do nosso tempo, no ano em que se assinala os 40 anos da sua morte.

Em Pocilga corpos e porcos são objetos de uma mesma ocultação, de uma única depreciação. Pasolini faz um retrato metafórico que retrata a decadência da degradação humana, alastrada pela sociedade capitalista, retrato esse que destila a história de um homem cuja paixão é causa de escândalo. A sua Diversidade, o amor desviante, a sua monstruosidade, poderá equiparar-se ao massacre de milhares de corpos de uma Alemanha nazi? Sim, e é para isso que existem os pactos de silêncio: uma aliança política urge como o meio de silenciar "tudo o que não vive", ou seja, tudo o que não é visto aos olhos do outro.

O amor, o sagrado e o político são três das principais dimensões desenvolvidas neste espetáculo dirigido por John Romão, na estreia mundial em língua portuguesa de um dos maiores textos de Pasolini.

Imagens Promocionais

Vídeos Promocionais

Ficha Artística

Texto Pier Paolo Pasolini

Encenação e Tradução John Romão

Com Albano Jerónimo, Ana Bustorff, António Parra, André Reis, Cláudio da Silva, João Lagarto, Mariana Tengner Barros, Miguel Loureiro, Miguel da Cunha, Pedro Lacerda, Paulo Pinto, Guilherme Moura, Mickael de Oliveira, Wesley Barros e figurantes

Música Nicolai Sarbib

Espaço sonoro João Bento

Cenografia F. Ribeiro com John Romão

Desenho de luz José Álvaro Correia

Assistência de luz e direção técnica Carlos Ramos

Assistência de encenação Solange Freitas

Figurinos Carolina Queirós Machado

Apoio aos figurinos Rita Lopes Alves

Produção Executiva Stage One

Coprodução Colectivo 84 (Lisboa), Culturgest (Lisboa), Teatro Nacional São João (Porto), Teatro Viriato (Viseu), Teatro Virgínia (Torres Novas)

Residência Artística O Espaço do Tempo

Apoios Bienal de Teatro de Veneza / Laboratórios Internacionais (Veneza), Eira, Manteigaria – Fábrica de Pastéis de Nata, Teatro da Garagem, São Luiz Teatro Municipal, anasousaatelier, A Pompadourette

Agradecimentos Miguel Pinheiro

Espetáculo coproduzido no âmbito da Rede 5 Sentidos

O Colectivo 84 é uma estrutura apoiada pelo Governo de Portugal, Secretaria de Estado da Cultura / Direção Geral das Artes

 

DATAS:

- Culturgest (Lisboa), Grande Auditório: 15, 16, 17 Janeiro 2015

- TAGV – Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra): 22 Janeiro 2015

- Teatro Virgínia (Torres Novas): 20 Junho 2015

- Teatro Viriato (Viseu): 27 Junho 2015

- Teatro Nacional São João (Porto): 3 a 12 de Julho 2015

Stage One produção executiva e difusão